Wednesday, November 17, 2010

A Liberdade de Oprimir a Liberdade

"Os cidadãos da União Soviética de raças e nacionalidades diferentes gozam de igual direito. O exercício destes direitos é garantido pela política de desenvolvimento e aproximação em todos os domínios e povos da União Soviética, pela educação dos cidadãos dentro do espírito do patriotismo soviético e do *Internacionalismo Socialista, e pela possibilidade de utilizar sua língua materna e a língua de outros povos da União Soviética. Qualquer restrição direta ou indireta, dos direitos ou concessão de privilégios, diretos ou indiretos dos cidadãos em virtude da raça ou nacionalidades, assim como todas as formas de propaganda do exclusivismo, hostilidade ou menosprezo de ordem racial ou nacional são punidos por lei." (Parte de um artigo da Constituição Soviética de 1977).

É com base neste aspecto soviético que inicio o post; independente de raça, sexo ou nacionalidade ou seja lá oque for perante a lei TODOS tem os mesmos direitos. Oque deveria ocorrer em uma verdadeira constituição socialista e até mesmo democrática de verdade. Mas mesmo se dizendo defensora da liberdade e democracia, não é oque ocorre na sua "terra da liberdade" não é? Mais que óbvio, uma nação dominada pelo preconceito e opressão cultural. Estes direitos soviéticos entram em embate direto co a política americana já que iguala a todos independente de nacionalidade; e oque a política propagandista mais se vangloria é sua grande "terra da liberdade"... é sim, grande liberdade de propagação da mentira. Agora diga-me quando a propaganda americana citou estes prefácios de artigos soviéticos de igualdade jurídica de todas as nacionalidades? NUNCA. Pois entraria em embate direto com sua propaganda enganosa, e mais ainda com sua própria política já que não iguala a todos juridicamente, apenas se você obter finanças o suficiente pra se defender você tem seus direitos defendidos. Ao contrário da nação americana que se vangloria de ter na sua constituição que "não modifica-se desde 1776" os direitos de liberdade de cada cidadão, mas que não a pratica; a propaganda soviética não se vangloria disto pois é um direito áureo e mínimo de uma sociedade igualitária e em paz; mais ainda não é uma lei que fica apenas no papel para em discursos pomposos serem realçados como a perfeição social, mais que isso ela é colocada em prática e realizada todos os dias na União Soviética. É uma das leis mores e importantes da nação socialista pois trata-se de uma das premissas mais nobres do Socialismo/Comunismo: a igualdade de todos os cidadãos perante qualquer preceito. NUNCA houve isso em terras americanas, nunca educou-se para não se ter preconceito, pelo contrário; há uma educação de continuidade com esses espírito opressor e ignorante de ser americano é ser melhor que os demais. Uma educação que vem de anos e anos, e não acabou simplesmente com a escravidão, e continua desde os tempos de guerra até os tempos atuais mesmo que de forma mais discreta. Isso chega a ser pior ainda pois de forma discreta o preconceito e opressão existem mas se escondem pela coberta da propaganda e da mídia e aparece apenas subliminarmente em algum discurso ou deslize de ações políticas.
Isso prova mais que nunca o embate entre a nação americana e a nação soviética, e analisando os fatos nota-se o verdadeiro vilão e quem queria o maior bem social antes de tudo, quem queria verdadeiramente a liberdade e justiça do povo; e verdadeira "terra da liberdade". E ela não era formada por inúmeras listras brancas escondendo o sangue derramado pelas suas "gloriosas" façanhas "libertadoras" pelo mundo e suas gloriosas numerosas estrelas brilhantes; e sim por um único mar vermelho formado pelo sangue honrado do verdadeiro povo e de sua luta em nome dos ideais de verdadeira liberdade e união social e uma única estrela brilhando no topo carregando o ideal mais nobre de se viver e morrer.
A propaganda burguesa se utiliza dos preceitos de nacionalismo para contrariar o desejo internacionalista do real comunismo, onde nenhum povo é visto como inferior de alguma forma; o nacionalismo de certa forma tem esse tom de superioridade de um nação sobre a outra, mesmo que inocentemente. Mesmo dessa forma é propagado pela propaganda burguesa de forma subliminar; seu "nacionalismo" não passa de opressão cultural, de uma forma de impor sua cultura acima das outras (o tal sonho americano). O nacionalismo empregado de tal forma não passa de preconceito político-social; é necessário essa oposição pela constituição soviética a realçar o Internacionalismo Socialista opondo-se ao nacionalismo opressor americano e de qualquer outra forma de nacionalismo empregada desta forma. Outra face da propaganda burguesa em relação à forma de propaganda soviética que além de contrariar e difamar o "estado democrático" que tanto se vangloriam de ser os americanos mesmo sua sociedade vivendo às custas de desigualdades imensas enquanto poucos obtem todos os recursos sociais e muitos sofrem trabalhando para estes terem mais ainda e, se sobrar algo, é oque os trabalhadores obtem. O carater soviético de limitar a imprensa e meios de opressão pela propaganda é comumente difamada pela mídia americana, declarando que isso é uma limitação a liberdade de expressão, colocando tais fatos de forma até constitucionais em seus documentos capitalistas. Agora analise que essa tal "liberdade" equivale à liberdade de interferir ou até negar a igualdade de direito de grupos sociais. Oque contraria normas internacionalmente reconhecidas por todo o globo, o Pacto Internacional sobre Direitos Humanos que diz que toda intervenção a favor do ódio racial, nacional ou religioso, constituindo uma incitação a discriminação, á hostilidade ou a violência, deve ser proibida por lei."
Essa é a tal liberdade que tanto se vangloria a "terra da liberdade": a Liberdade de interferir na Liberdade de outros.
(Uma simples observação sobre o * no inicio do post, o Internacionalismo Socialista faz parte da tese revolucinária de Trotsky sobre o Internacionalismo, e de que a revolução faria sentido somente em inúmeras nações, e não só em uma; pois o orgulho nacionalista pode levar à opressão cultural e sentimento de superioridade fútil pelo orgulho de determinado país. Não se deve ter orgulho de sua terra, de onde você nasceu para oprimir as outras terras, todos devem amar sua terra, mas se orgulhar apenas do ideal comunista de todos os povos, sem distinções de raças, nacionalidades, religiões, feitos, cultura ou qualquer outra particularidade. Não existe aquela política enganosa da propaganda burguesa de que niguem pode ser diferente no comunismo, que temos como objetivo criarmos "robôs etiquetados"; não há essa política infantil de todos parecerem iguais para serem iguais. A igualdade pregada no comunismo é a igualdade jurídica, politica e social ; não uma simples aparência. Ser diferente não é difamadado pelo comunismo, ter ideias diferentes, desde que não interfiram no ideal do povo, são validas e até propagadas pelo ideal.
Aí está a chave para derrubar toda a propaganda difamadora e mentirosa burguesa e que eles tanto se orgulham de sustentar, explicando oque realmente é a Liberdade Comunista: A sua liberdade individual apenas não pode interferir na liberdade da sociedade em geral; ou seja, você é livre, porém não é livre para oprimir a liberdade de outros. Não há sentido em permitir a liberdade de oprimir a liberdade. E mais uma vez é dado um xeque-mate na propaganda burguesa:a sua "liberdade" está justamente em poder interferir na liberdade do povo. Isso não é liberdade, é Opressão disfarçada.

Monday, November 08, 2010

NOV 7 - Viva a Revolução Comunista, e Viva Trotsky!


Parabéns Trotsky, e viva a Revolução Comunista! Eterna glória à ti meu herói. Dia 7 de Novembro, aniversário da grande revolução bolchevique que culminou no primeiro governo comunista da humanidade, uma sociedade que no mínimo tentou e alcançou inúmeros apces sociais perante a qualidade de sua sociedade; o povo soviético foi um novo e único tipo de sociedade, talvez a tentativa mais nobre de uma sociedade verdadeiramente unida. Fizemos 93 anos da da Revolução (NOV 7 - 1917; segundo o calendário ocidental, na época o calendario russo marcava OUT 25). E também coiscidentemente seria aniversário de Leon Trotsky, meu grande herói e líder comunista que foi um dos mais importantes perante o ato da revolução bolchevique; fazemos 131 anos do nascimento desde grande gênio revolucionário injustiçado mas que nunca será esquecido.
Se depender de minha pessoa nunca serás esquecido grande Trotsky, nada menos que a memória e glória eternas cabe à você. Descanse em paz e que sua glória perpetue pela eternidade assim como o espírito da Revolução que o senhor desencadeou; guiando o povo à talvez um dos momentos mais gloriosos da história. Viva Trotsky, Viva a Revolução Comunista. O Comunismo está mais vivo doque nunca, não se iluda.
(NOV 7, 1917 - NOV 7, 2010) (NOV 7, 1879 - NOV 7, 2010)

Thursday, November 04, 2010

"Somos todos iguais, braços dados ou não."








Interprete por si só.

Sunday, October 24, 2010

Em defesa de Israel

Talvez muitos já encarem esse post com desdém e no mínimo me chamando de hipócrita pelo título. Venho aqui esclarecer que o post irá tratar de um assunto extremamente delicado e que gera inúmeras divergências. O conflito Israel/Palestina e Oriente Médio no geral.Esclareço que não defendo Israel cegamente só por ser judeu. Sei que Israel fez muitas ações precipitadas e que soaram agressivas, e sim foram; mas muitos criticam Israel cegamente sem analisar toda a situação e oque fazem também contra o mesmo. Porém deve-se analisar ambos os lados antes de chegar-se à uma conclusão. Mas paremos um pouco de sermos levados somente pela mídia e vejamos de um outro lado.


Israel é um Estado Judaico no meio do Oriente Médio, onde TODOS são Muçulmanos ou Islâmicos; os quais em sua maioria quase sempre odeiam os judeus por questões histórico-religiosas. Ocupa um espaço mínimo do oriente médio, aí é um ponto em que começa a divergência de opinião: falam que Israel expulsaram os árabes/palestinos de suas terras... porque Israel não teria direito à um espaço de terra? E com todo o oriente médio porque os muçulmanos e islâmicos exigem a expulsão de Israel? Admitamos que muito disso deve-se à ignorante preconceito anti-judeu. Bem não é o fato que pretendo analisar... esse fato deixo em aberto pois há erro de ambos os lados: de islâmicos e muçulmanos não admitirem um estado judeu e um pequeno espaço ocupado por estes e serem precipitados também em suas atitudes perante à isso (1 dia após ser declarado o Estado Judaico de Israel muçulmanos e árabes invadiram Israel agressivamente sem justificativa aparente nenhuma; e isso nunca terá justificativa na minha opinião) Não irei defender Israel dizendo "Eles que começaram", mas é algo que não deixa de ser verdade, admitamos. Agora também Israel pecou em estender seu território além do tratado pelo decreto, assim dessa maneira e nesse momento, expulsando o povo árabe de suas terras. Neste ponto não defendo em momento algum Israel.
Pela análise inicial proposta deixo claro nos comentários que não sou um hipócrita defendendo Israel apenas por ser judeu; mas o que venho a tratar de maneira enfatizada e até com repulsa é o fato dos defensores cegos dos árabes vierem com o seguinte comentário: "Israel está fazendo o mesmo com os árabes que os nazistas fizeram com os judeus na 2° guerra." Isso é de deixar qualquer judeu extremamente com raiva; e qualquer um com consciência do que aconteceu também deveria ficar. ONDE JÁ SE VIU COMPARAR ALGO AO HOLOCAUSTO?? Não teve algo pior na história, o único momento em que talvez algo chegou perto disso foi o Genocídio Arménio durante a 1° Guerra, mas não há como comparar NADA à esses fatos. Perante o genocídio judeu então? Não há como discutir isso. Foi uma atrocidade sem precedentes praticada contra os judeus, não há palavras para descrever tal ocorrido que é irreparável perante a memória dos judeus. Muitos judeus mesmo sem ter passado por esse momento odioso da história sentem o pesar de que o nosso povo paçou, como eu e muitos outros judeus que tem consciência doque foi isso para o povo judeu. Muitos também não judeus tem essa consciência perante o fato, pessoas com real consciência mesmo sem ter passado por isso ou sem nem conhecer ninguém que passou por isso. Há uma auxência deste sentimento perante estes porcos que apoiam esse comentário; eles não tem noção doque os judeus passaram... e agora os judeus ainda tem que ouvir que estão praticando o mesmo que fizeram talvez o momento mais horrendo da história judaica contra os árabes. Isso é de dar nojo. Que me critiquem, que ofendam, que façam o caralho que for... não vou ficar quieto ouvindo tais blasfémias contra o meu povo, e mesmo que não fosse eu o defenderia da mesma maneira, pela honra e memória do povo judeu.
O mundo esqueceu-se do sentimento pelo próximo, pelo simples fato de não se conhecer aquele ser humano ele torna-se descartavel e indiferente. Ou seja, ele pode morrer, ter sofrido horrores que continua sem importância. Isso deveria ser repudiado com todas as forças, e o ser humanos se tornou isso, abtuou-se à situação de seus semelhantes morrerem todo dia, todo instante. E mesmo um ato horrendo como o sofrido pelos judeus é incapaz de comover tais ignorantes. Estes tem meu repudio eterno, não há justificativa para nada como tal. Isso é algo que nunca deve ser comentado com tom irónico, ou com intuito de se fazer piadas como muitos ignorantes o fazem. Tais pessoas não tem consciência do sofrimento que eles passaram, e deveriam ter noção disso, antes que algo faça-os ter consciência à força. Há judeus que se sentem tristes com isso, outros ficam calados... e há outros que sentem um ódio absurdo e que esperam descontar no infeliz que pronunciou tais blasfémias contra nossa honra. Deixo assim subentendido. Shalom.

Tuesday, September 21, 2010

Simon Wiesenthal

"Quando morrermos e irmos para o outro mundo, os milhões de judeus mortos pelos nazistas nos perguntarão oque fizemos todo esse tempo que sobrevivemos à eles,e eu responderei: 'Eu não me esqueci de vocês.'". Simon Wiesenthal -
O homem que dedicou a vida a caçar nazistas impunes que fugiram após a guerra, um homem de nobreza incomparavel que sobreviveu à tais atrocidades e não permitiu até a morte que este bastardos ficassem impunes.
Simon Wiesenthal nasceu em 1908 no território que equivale hoje à Ucrânia, em 1939 foi capturado pelos nazistas e foi obrigado à trabalhar forçadamente em campos de concentração. Fugindo inúmeras vezes e capturado novamente em outros campos de concentração, chegou a passar por algo entre 13 campos diferentes; até as tropas aliadas em 1945 libertarem um dos campos de concentração onde Wiesenthal era um dos prisioneiros sobreviventes, com 1,80m pesando 45Kg. Livre, descobriu que todos os seus parentes haviam morrido, os quais só encontrou a esposa. Após se situar novamente ao mundo resolveu dedicar o restante de sua vida à perseguir criminosos nazistas fugitivos. Primeiramente trabalhou para o serviço secreto americano, depois fundou um Centro de Documentação Judaica independente em Viena; o qual não passava de um apartamento que brevemente viu-se lotado de documentos e paradeiros de criminosos de guerra nazistas à lotar inclusive o chão dos quartos. E Wiesenthal dedicou-se à todo instante à essa mição as quais resumiam-se em resgatar documentos escondidos e destruídos recupera-los para achar o paradeiro dos fugitivos. Graças à esse trabalho inúmeros fugitivos como Karl Silberbauer e muitos outros. Em meados de 1954 os serviço americano perdeu o interesse na caça aos nazistas e Wiesenthal ficou sem recursos; mas a captura do oficial da SS Adolf Eichmann pelo serviço secreto israelense, o Mossad, o fez prosperar novamente apesar de ele não ter tido muito à ver diretamente com sua prisão. Mas pelo Mossad não ter agido legalmente para achar e capturar Eichmann acabaram por ter que atribuir à um orgão "legal", no qual o orgão de Wiesenthal, que acabou por ser o porta voz da captura de Eichmann. Assim conseguiu a publicidade mundial e apoio financeiro novamente para continuar seu trabalho.
Wiesenthal continuou investindo seu dinheiro em seu objetivo, perseguindo Franz Stangl que foi comandante dos campos de Treblinka e Sobibor, sendo assim responsável direto pela morte de 900 mil judeus homens, mulheres e crianças. Achou um informante que pagou pela informação pelo paradeiro de Stangl. Afirmou em uma entrevista sobre o assunto "Eu tinha três opções: escorraçar aquele homem, estrangulá-lo ou lidar com ele. escolhi a terceira pois achei que a prisão de um assassino em maça valeria o pagamento." Sua paciência rendeu frutos e, mesmo com relutância do governo austríaco de expedir um mandado de prisão contra Stangl, o paradeiro dele foi encontrado por Wiesenthal na América do Sul, Brasil. Foi extraditado à Alemanha Ocidental onde foi julgado pelas mortes de 900 mil pessoas, os quais admitiu os crimes mas afirmando que estava apenas seguindo ordens e julgado sem remorso e justiça foi condenado à prisão perpétua. Também achou o paradeiro de Hermine Ryan (sobrenome de solteira Braunsteiner) a qual supervisionou o assassinato de centenas de crianças; ela foi extraditada dos EUA para ser julgada para a Alemanha Ocidental onde foi condenada à prisão perpétua. Assim continuou a sua vida em seu trabalho, como costumava dizer "Não existe liberdade sem justiça." Até após seus 90 anos trabalhou em seu escritório em Viena lutando contra o racismo histórico perpetuado pelo esquecimento. "A coisa mais importante que fiz foi combater o esquecimento e manter viva a memória." em uma entrevista o afirmou. O trabalho de Wiesenthal foi responsável pela prisão de mais de 1000 criminosos nazistas. Faleceu aos 96 anos em 2005 e foi sepultado em Israel. Este grandioso homem foi Simon Wiesenthal o qual lutou toda sua vida contra a impunidade de um do piores crimes cometidos contra a humanidade e sua glória por tais feitos serão lembrados para sempre. "É muito importante as pessoas saberem que nossos inimigos não foram esquecidos". Nem você será esquecido.

Simon Wiesenthal
(1908-2005)

Monday, August 23, 2010

Lev Davidovisch Bronstein (1879-1940) - 70 anos sem Leon Trotsky

Infelizmente venho com pesar, mas querendo trazer honra e saudações máximas à esse grandioso homem que não tenho palavras pra descrever que foi Trotsky. Fizemos ontem, 21 de agosto, 70 anos sem esse grande mártire do comunismo e que ecoará para sempre pela história com suas idéias, feitos etc pela causa comunista e da União Soviética. Trotsky lutou incessantemente até o fim pela causa comunista, do socialismo, de sua política da Revolução Permanete, contra as enganações e ultrajes do governo de Stalin; enfim, toda a sua vida foi uma luta pelo seu ideal, que infelizmente o pode concretizar apenas parcialmente nos primeiros anos da União Soviética. Um estudioso acima de tudo, almejava sempre o conhecimento; um perfeito exemplo de vida. Na minha opinião, meu ídolo máximo, o maior exemplo da história, o mais grandioso; perseguido até o fim por Stalin que infelizmente conseguiu destruir a vida do mais digno e merecedor do comando geral da União Soviética.
Mas isso não o matou camarada, isso apenas o deixou mesmo que infelizmente de forma trágica, descançar no berço da história como um exemplo eterno. Sim, você é eterno camarada, e sua luta não foi em vão, você não será esquecido. Você é merecedor de muito mais que um post de um humilde jovem comunista, e eu gostaria de dedicar todo este trabalho, estas palavras e pensamentos por mais inútil e humilde que possa parecer, à memória de Trotsky (Lev Davidovisch Bronstein). Que seu nome e o nome de sua família não se apague da história nunca, eu não permitirei e sei que não estou sozinho. Trotsky é para mim o grande exemplo máximo que me espelho como revolucionário e idealista comunista. Espero um dia ser metade do homem que você foi camarada. Seus atos e sua vida foram um relato máximo de um socialista, de um revolucionário, de um comunista.
R.I.P
Lev Davidovisch Bronstein
Trotsky

Sunday, August 15, 2010

Análise Básica e Realces Sobre o Andamento do Blog

Este é um post apenas demosntrativo para realçar as mudanças que ocorreram durante a criação e o andamento até o momento deste blog. Confesso que iniciei este blog com bastante fervor e vontade mas pouco conteúdo; algo do tipo "É, vamos gritar por Liberdade e Igualdade; fuck the system!" etc. Algo até forte e correto, mas ainda assim muito básico e superficial. Com o passar do tempo e dos posts, eu fui aprimorando o meu próprio conhecimento, e fui gradativamente aprendendo cada vez mais que postava algo; confesso também que não iniciei o blog com o conhecimento atual que tenho sobre os assuntos que trato aqui. Então devo realçar que houve uma espécie de "evolução" com o passar do tempo, acrescentando mais conteúdo e de uma maneira mais política do que apenas aquele "grito", que não diria "irracional"; mas era mais um impulso que uma vontade. E isso ao longo do blog foi mudando, cada vez mais conhecimento e mais conhecimento fui adquirindo, mas ainda assim é muito pouco; como digo "Conhecimento é sempre bem vindo." Então só queria escrever sobre esta mudança no blog que se parar para analisarmos os primeiros posts e os atuais nota-se logo que imediatamente a diferença na escrita e no modo de se passar a informação. E também queria realçar que, por tal mudança calsada por esse acréscimo de conhecimento, eu gostaria de reescrever alguns posts que considero de extrema importância mas que por impulso acabei escrevendo-os sem conteúdo suficiente como queria. Estes posts seriam sobre Trotsky e o Genocídio Armênio, que complementaria com um pouco sobre o Genocídio Judeu. São assuntos de extrema importância que merecem muito mais que um texto bem trabalhado, lembranças e gritos por justiça. Obrigado desde já, como sempre. Continuarei minha luta, por mais que humilde, pela causa kamerads. Shalom. Für Immer, für Freiheit!

Saturday, July 24, 2010

Teatro de Marionetes

Notícias, televisão, jornal. Meios de propagação da informação; com o objetivo de (pelo menos é oque deveria ser) propagar acontecimentos de importância mesmo que apenas local sem filtragem ou modificação do ocorrido. Mas infelizmente não é isso que ocorre. Há adulteração de informações, modificação e filtragem doque se passa para o mundo através destes meios; para fins aleatórios por vezes até banais e crueis. O auge infame dessa façanha anti-ética é que estes meios são oque mantém a globalização em seu auge, e se algo não é propagado; dificilmente alguém além de quem presenciou ou estava por perto saberá de tal ocorrido. Então assim temos pelo mundo inteiro propagação de informações totalmente desnecessárias com enfoque como se aquilo fosse um ocorrido com um nível de importância que mudaria o rumo da vida de alguém; e também o oposto que são acontecimentos verdadeiramente úteis e significativos para a vida de muita gente inclusive da sociedade como um todo e que são descartadas ou adulteradas impedindo sua propagação e assim, impedindo o mundo de saber que aquilo ocorreu. Isso ocorre principalmente com injustiças políticas e sociais que são escondidas do mundo por ter o poder de mobilizar quem realmente tem noção do que esse mundo se tornou: um palco de opressão social que favorece aos homens que "controlam as marionetes de cima" e só aparecem no início e no fim do "espetáculo".
Exemplos de tal assunto serão citados. Vejamos o caso de pessoas famosas do cinema, música etc. Qualquer notícia que estejam vinculados atores ou "celebridades" são publicadas como se fossem a coisa mais importante que ocorreu naquele dia ou momento. Algumas chegam à ser óbvias de querer ocupar espaço de informação: Porque anjos eu iria querer saber que tal ator foi pra uma balada na Califórnia? Ou que tal músico saiu com seu cachorro pra passear hoje de manhã? Ou que outro ator foi flagrado tomando um suquinho de laranja na cobertura de um hotel? E tudo isso é jogado na mídia global como "PROW! A Notícia da Semana!". Todas essas notícias são divulgadas e acabam conseguindo seu potencial máximo de audiência e no dia seguinte talvez muita gente esteja comentando sobre estas baboseiras como se fossem algo interessantíssimo. Tudo que ocorre de mais útil e inútil, apenas por ter sido com alguém famoso, torna-se algo bem maior e mais importante fazendo todos se comoverem ou acharem aquilo "bem legal"; como se na concepção normal e óbvia um ator(a) não fosse uma pessoa normal como qualquer outra que se alimenta, dorme, faz sexo, respira, pisca, se cansa etc.
Então temos o lado oposto desse assunto tratado: pessoas normais, comuns, mas que não são conhecidas mundialmente, não são famosas. Com essas pessoas, e talvez não só uma como um povo inteiro ou determinada localização no mundo, independente de quão útil e/ou preocupante verdadeiramente seja este ocorrido; isso não é falado, divulgado, no máximo dão uma "pincelada" de 15 ou 30 segundos em algum tele-jornal qualquer e nunca mais tocam no assunto. E por mais importante que seja, nem o próprio jornal (que profissionalmente deveria) nem a população (que não tem muita culpa pois quem propaga é a mídia, e se a mesma não divulga é quase como se aquilo não tivesse ocorrido) dão o devido valor àquilo. Uma família inteira no norte do Sudão pode ter morrido de fome e sede, ou uma criança no território de Israel e Palestina pode ter morrido com um tiro, ou uma mulher pode ser vítima de apedrejamento no Líbano, ou uma criança numa escola morre vítima de uma bala perdida... E NADA É FEITO, FALADO, DIVULGADO, é simplesmente ESQUECIDO! ONDE VOCÊS ESTÃO COM A CABEÇA? Isso não deveria acontecer, é algo podre e ignorante e muitos mais possíveis adjetivos horrendos pra esse tipo de pessoa que finge que nada aconteceu, e continua afirmando isso de uma forma que aparenta realmente que NADA aconteceu. Simplesmente por ser um ocorrido com gente "comum" e desconhecida, não se tem o valor para com a tal pessoa porque "Ela não é importante." Mas não deixa de ser um ser humano, pelo amor de Deus! Pode não ser importante pra você, mas ela com certeza é importante pra alguém; esse sentimento de se colocar no lugar da pessoa mentalmente e tentar compreender oque ela pode estar sentindo, não temos mais esse sentimento e conceito. Por não conhecermos a pessoa ela pode viver ou morrer e fazer oque quiser que não estamos nem aí. E uma pessoa que nem sabe que existimos, só pro ser conhecida pelo mundo ou local é importante de tal forma que, por exemplo se o filho de uma pessoa famosa morre tragicamente TODOS se comovem e ficam abismados com o que aconteceu e ficam indignados se alguém não é culpado; agora se um qualquer, humilde, pobre que ninguém nunca ouviu falar morre tragicamente sem ter nada à ver com oque acontecia, ninguém da a mínima ideia e não tem sentimentos pelo mesmo. Não deve ser assim.
A vida comum foi banalizada, e notícias de trágicos acidentes, mortes, guerras nas quais gente comum e inocente morre, não é mais o alvo da mídia; a mesma já "se cansou" de passar tais notícias, o mundo já vê como algo comum tudo isso e assim sendo tais notícias não dão "audiência". E simplesmente por status empresarial tele-jornais e afins deixam de mostrar que pessoas ainda estão se matando e matando outros entre si à cada segundo incessantemente e mostram que uma modelo gastou milhares de dólares em roupas, adereços e sapatos. A vida chegou num estado banal onde morrer de forma trágica é visto como cotidiano normal do mundo, e nada do género interessa mais a população em geral, muito menos a mídia. Isso me deixa profundamente puto com vontade simplesmente de matar e explodir tudo e pisar, cuspir e rir em cima dos cadáveres podres destes desgraçados que controlam tudo isso, toda essa artimanha para acostumar o povo a assistir sem fazer nada sua própria morte. Esse é o enfoque de todo esse teatro de marionetes: fazer nós nos acostumarmos à ver a morte do nosso próprio povo de gente comum enquanto alguns poucos continuam suas vidinhas ridículas ostentando status, glamour e dinheiro. E isso já está em estado de conclusão; ninguém mais liga pro garotinho do oriente médio mas se interessam pelo que o filho de um casal de famosos anda comendo. É sinceramente ridículo tudo isso, a banalização extrema da vida e da falta de consciência humana. Somos todos seres humanos, independente de status social, renda ou religião; no final, somos todos humanos. Essa consciência está aos poucos se esvaindo da sociedade moderna. É no mínimo trágico e ridículo este estado da atualidade mundial. Dedico isso de forma humilde à todos que sofrem tal situação, mesmo que nunca saibam que eu exista e mesmo eu não conhecendo nenhum deles. Agradeço à todos que tem ainda tal consciência de que somos todos humanos também, é bom sempre saber que não estamos sozinhos, que por mais distante que esteja, ainda há um caminho aparentemente plausível para concertar tudo isso. Não quero que isso soe com tom de superioridade dedicando isso aos que estão morrendo no anonimato total, é algo de dentro de mim que sinto por estes que infelizmente estão sofrendo sem ninguém ver. Sou tão igual à eles como todos no mundo. Talvez este seja um dia qualquer pra muitos, mas pra muitos mesmo foi o último de uma vida de incessante sofrimento. Guardarei este dia pra mim, e apenas pra mim, em memória de todos estes que jazem no anonimato nessa sociedade sem consciência humana. (24/07/2010)


Não deixemos o show de marionetes terminar e subiremos no palco da opressão antes, e nós mesmos decretaremos o fim derradeiro à favor do povo.

Sunday, May 16, 2010

"Estado" Comunista

O post seguinte tem como objetivo mostrar a verdadeira face e desejo do verdadeiro Estado Socialista/Comunista da União Soviética; o qual é injustamente e ignorantemente repudiada pela mídia geral do mundo principalmente a americana sob injurias de "totalitarismo disfarçado", "regime ditatorial", propagando que o Estado tinha total poder sob o povo o qual era totalmente submisso ao mesmo. Oque sinalizo imediatamente que é uma mentira; de certa forma organizada pra parecer verdadeira, mas é uma interpretação errónea da real Política do Estado Soviético. O mesmo na verdade era conhecido como "Estado" apenas pelo termo técnico e seu significado geral, mas na verdade como tudo se baseava na propriedade socialista em tal governo; os bens do Estado assim sendo também eram uma propriedade socialista, assim como sindicatos e organizações sociais.
Então assim sendo, as propriedades socialistas eram a forma de "organização econômica" (digamos assim; deve haver um termo mais técnico e/ou exato cujo nome me falta por hora; mas entendo dessa forma simplificando para melhor entendimento geral e meu próprio) do governo soviético. Oque queriam dizer com "propriedade socialista"? Ressaltavam que toda propriedade socialista era pertencente ao povo, no qual o mesmo tinha o direito primordial de intervir e questionar e complementar as ações do mesmo. Dizendo-se isso, vemos que a propriedade socialista nada mais é que a propriedade de toda a sociedade socialista; então se temos o Estado e seus bens(Por Lei na constituição soviética) como propriedade socialista, vemos que apenas o povo tem total controle para modificar/complementar/questionar o Estado caso necessário. E isso não só como direito, mas sim como dever constitucional soviético de cuidar do Estado e intervir contra ou a favor do mesmo, se necessário obviamente.
Ou seja, esta é uma sociedade na qual o povo tem o DEVER de cuidar e refletir idéias ao Estado para o bem maior social. Sendo assim, porque a visão do povo sendo totalmente submisso ao Estado, quando na verdade o Estado é um instrumento do povo para o bem maior do mesmo e controlado pelo MESMO por LEI constitucional? Isso foi causado por uma interpretação propositalmente errónea da mídia geral capitalista, com a mídia americana no comando mundial anti-comunista; segundo minha própria interpretação que considero plausível à afirmação de estar correta, no mínimo parcialmente. Digamos que seria a principal causa, mas talvez não só ela; lógico que teve as mãos sujas da propaganda enganosa e negação da informação (o termo "negação da informação" será alvo de um post só para retratá-lo e mostrar como sempre foi e ainda é uma das maiores armas da covarde mídia contra o povo em si) como principal caminho para tal objetivo. Uma nação a qual se baseava totalmente em propriedade socialista, na qual a sociedade estava sem conflitos há muito, vivendo num estagio social material comparado às classes médias americanas (ao contrário doque afirmavam os americanos sobre a "pobreza e fome" que assolavam o "pobre povo soviético"; querendo ainda fazer pose de que se importavam com o povo soviético afirmando que eles não teriam culpa de estar sofrendo este governo... algo digno de me deixar completamente puto, vão se foder por favor!). Desabafos à parte; a sociedade vivia realmente em harmonia com a forma de mercado e organização económico-social, oque fazia com que pouquíssimos atos grandiosos fossem questionados para com o Estado, pois tudo estava no caminho certo desde a consolidação da nova constituição que baniu de certa forma com todo o resquício maldito de Stalinismo (realço aqui basicamente oque já foi tratado com mais detalhes em outros posts passados que sob o governo de Stalin, a União Soviética sofreu um governo totalitário ao extremo sob bandeira comunista mas c/ ideais claramente totalitaristas. Daí se forma mais um alvo, infelizmente eterno alvo, contra a política comunista; nunca canço de dizer que o Stalinismo manchou para sempre o verdadeiro ideal comunista; pois se utilizou de um governo pútrido, ignorante e totalitário sob bandeira e ideal de glória e honra supremas que formam o Comunismo.) Assim sendo, houve sim um período de pobreza e fome causadas pelo Stalinismo, mas mesmo depois desta desgraça, continuou-se com as mesmas afirmações no geral sobre a União Soviética e seu povo; aí entra mais uma vez a negação da informação impedindo a circulação do que realmente estava ocorrendo em solo soviético.
Agora refletimos: num país que a economia baseia-se no lucro em relação à bens privados, na qual propositalmente e "legalmente" apenas parte da população vive bem e outras aparentam que estão, e outras fingem que aparentam enquanto uma massa maior ainda que não deixa-se pronunciar não ganha absolutamente nada apenas tendo que pagar mais impostos por direitos que lhe são negados; nunca que esses porcos deixariam a verdade sobre a sociedade soviética socialista daquela época em diante espalhar-se pelo mundo. Assim sendo oque fizeram? Para não ficar escrachadamente negação de informação (Oque , realço, é um Direito constitucional na sociedade americana atual e de praticamente todo o mundo), os mesmo faziam a distorção da informação e propagava-na com toda veemência para os 4 cantos da forma a qual eles moldaram-na, ou seja, à seu próprio favor. De certa forma subliminarmente dizendo: "Vejam, seus direitos à TODA informação não são negados." Seria o principal problema da sociedade atual em geral no mundo; eles te fodem legalmente. Se quiserem te arrumam problemas que vc não conseguirá sair e acabará preso e, caso você realmente haja "fora da lei", será mais um motivo de exemplo; é realmente um sistema maldito que controla os bens e as maneiras de te ferrar se você começar à dar trabalho questionando-o ou, pior ainda, propagando a verdade. Um dos meus trechos mais interessantes conclui num pensamento assim: "Não há como agir na legalidade se o nosso inimigo controla as leis." Não é uma propagação nem chamado ao caos, de apenas se revoltar e começar à fazer baderna; e sim de ações e ideias, verdades, informações que, neste sistema, são consideradas ilegais. Agora analise se isto seria necessário numa sociedade socialista... acho que não.
O que seja talvez, pra mim, o xeque-mate contra o sistema anti-comunista/capitalista é o fato de oque eles negam e reprimem de você (informação, verdade, intervenção contra o Estado caso o mesmo esteja em negligência para com a sociedade etc), a sociedade socialista soviética coloca isso como um DEVER CONSTITUCIONAL do povo de exercer seu direito e poder caso aconteça algo do gênero. Analise os fatos, procure a Verdade.

Tuesday, May 04, 2010

Komsomol

O Komsomol, a União da Juventude Comunista Leninista da URSS era um dos braços do governo soviético assim como as organizações sociais, sindicatos, cooperativas e o próprio partido comunista em si na União Soviética.

O principal objetivo do Komsomol era educar os jovens no espírito das idéias do marxismo-leninismo, das grandes tradições da luta revolucionária, seguir o exemplo de trabalho do operários, kolkhozianos (trabalhadores do campo) e intelectuais, implantar no jovem a idéia de classes em relação à vida social; resumindo, preparar futuros edificadores do comunismo. Seriam , em outras palavras, o futuro do Partido Comunista da União Soviética, um ativo auxiliar e/ou sua reserva. Sua missão em si além de instruir os jovens á tais idéias consistia também em resolver problemas econômicos e sociais locais referentes ao partido. Era de grande valia ao partido e ao governo em si pela "vontade" digamos assim por serem jovens e dedicados e descobridores como é natural de quase qualquer jovem; promovendo extensa e continua contribuição no campo tecno-científico e em seu desenvolvimento e também no patriotismo materializado no serviço militar em campo. Eram literalmente, jovens lutando pelo seu país e por uma idéia a qual respeitavam e seguiam, da sua forma e de seu modo; seja o simplório, mas não inferior, entregador de panfletos, ao químico cientista, ao soldado etc. cada um servindo ao povo primeiramente, e após isso sua nação em si; que de certa forma pratica o mesmo.
Imaginemos uma situação dessas na atualidade: nós jovens sendo educados sobre uma doutrina socialista e igualitária; sermos bombardeados desde pequenos por essa política e forma de enxergar o mundo e a vida social em si, desde jovens ouvindo, lendo e vendo a forma socialista de interpretar as coisas. Talvez muitos dos problemas passados por nossos avós ou pais não teria ocorrido pois tudo já estaria estabilizado, pois obviamente que os mais velhos hoje um dia foram jovens. Imaginemos se eles crescessem ao som de gritos exaltantes de "União, Justiça, Igualdade, Revolução!" Com certeza seriamos uma sociedade realmente justa e igualitária, pois educando o futuro você o molda, ou seja; educando o jovem de tal forma você molda o futuro com essa tal forma. Os Jovens sempre foram o futuro, e muitos lideres já sabiam e pregavam isso, não c/ as mesmas doutrinas sempre; mas sempre se teve a real (enfatizo concedendo razão á está afirmação) noção de que os jovens moldarão o futuro, pois o mesmo pertence á eles. Mas não; isso é apenas um sonho que não aconteceu, e continuou à não acontecer pois a nossa geração também cresceu sem essa educação, e infelizmente a próxima crescerá deste modo também, a mudança , se vier a ocorrer não será tão imediata assim. Quando crescemos presenciando, ouvindo, vendo, lendo, vivendo algo; acabaremos por se abtuar àquilo e achar normal, considerar parte do cotidiano etc. Então crescemos sempre bombardeados por sistemas educacionais sem uma digna importância ao estudo e à interpretação, televisão como um sanguinário vício e não mais apenas um meio de comunicação ou distração, dependência de um consumismo exagerado e dispensável, ouvindo sempre que se você expressar sua opinião você será reprimido por isso de alguma forma, e vários outras brutalidades que somos expostos desde jovens para abtuarmos-nos à tal situação interpretando aquilo como "o certo" o normal".
Muitos estudiosos e até mesmo políticos burgueses e anti comunistas diziam e dizem ainda que o Komsomol era uma lavagem cerebral na cabeça do jovem, que excluía a opinião do jovem e que o mesmo não tinha escolha; em termos mais diretos e até exagerados ao que eles se referem , "uma violação do direito do ser humano". Errado e hipócrita ao mesmo tempo. E oque eles fazem com o povo em geral, os jovens de hoje e fizeram com o povo e jovens de antigamente? Não seria considerado também uma lavagem cerebral? Analise: somos expostos a tremendas atrocidades sociais desde jovens para quando formos capazes de fazer algo contra, acharmos aquilo normal e ficarmos sem fazer nada sentados no sofá apenas vendo ser feito; e quando tentamos algo contra mesmo que minimamente apenas com palavras expressando nossa opinião em relação à algo que os atinge somos silenciados da forma mais bruta possível ainda para servir de exemplo. É tudo oque eles desejam, dizem que os jovens soviéticos eram injustiçados por serem expostos á uma política obrigatoriamente desde jovens sofrendo "lavagem cerebral comunista", mas expõem "dentro da lei" de certa forma uma lavagem cerebral afirmando justamente o contrário: não tenha opinião em nada, apenas siga os outros e tudo vai ficar bem; não se expresse, apenas seja mais uma máquina trabalhadora para fornecer ganho à alguém. Afirmando a idéia de que querem apenas seres que sabem obedecer e dar dinheiro à alguém pelo seu trabalho, ou seja, máquinas de carne e osso que só trabalham e não pensam. E tudo isso à muito já vem ocorrendo e continuará pois os jovens são moldado à perpetuar sem saber está "cultura" de se abtuar apenas à situação. Em um termo correto, somos moldados à nos acomodar à situação e não a mudá-la à nosso favor, ou seja, nós nos adaptamos à situação político-social ao invés da mesma adaptar-se perante à vontade da sociedade.
Se sofrescemos a "lavagem cerebral comunista" com certeza faríamos alguma coisa para realmente mudar a situação opressora camuflada à qual convivemos; assim como nossos anteriores também com certeza fariam se tivessem talvez acesso à tal educação. Mesmo sobre a pressão de uma política de "não faça nada, apenas observe calado", sempre houve e, eu representando aqui com muito orgulho a parcela que continuará à haver de gritar contra toda essa falsa paz e mentiras à qual somos abtuados. Gritemos contra nossos "opressores legais"; Fuck you All! Esse jovem aqui vocês não conseguiram e nem conseguirão moldar.

Thursday, April 08, 2010

O Manifesto Comunista e sua icompatibilidade parcial c/ o Cotidiano

Primeiramente esse post pretende tratar não do que o Manifesto Comunista em si passa, isso será retratado com pouquíssimo detalhe pois não é o objetivo central do post. Tenho como objetivo no mesmo mostrar a influência no cotidiano atual que o mesmo pode exercer etc.
O Manifesto Comunista, escrito por Karl Marx e Friederich Engels exprime as bases da doutrina comunista, explicando nada mais do que as origens da luta de classes e todo o processo que deveria ser levado em conta na época. Os próprios Marx e Engels disseram que seu documento não deveria ser tomado como prioridade e ser seguido a risca; já que era um manual comunista para AQUELA ÉPOCA. Eles mesmo admitiram que era uma obra limitada em relação ao conteúdo. Mas não deixa e nunca deixará de ser um documento de extrema importância para as bases socialistas. Porém, digo na minha humilde sabedoria sobre o assunto, com base no que os próprios génios da doutrina afirmaram, que o manifesto em si é um relato limitado do conhecimento socialista; eu mesmo aprendi muito mais sobre a doutrina fazendo próprias interpretações de acontecimentos gerais, óbvio, ligados á doutrina socialista do que lendo o manifesto em si. É uma excelente base para análise histórica (pois é o modo o qual Marx se utiliza para explicar seus pensamentos) e ensina a como estudar sobre tal assunto e abordar os acontecimentos históricos da forma que Marx abordava, na forma de uma análise histórica. Para quem não tem uma base de estudo de tal assunto é ideal estudá-lo e aprender a ver da maneira que Marx viu, e não levar ao pé da letra o documento em si. Era um documento feito para aquela determinada época; não estou dizendo que a doutrina comunista mudou, aquela continua sendo a base da doutrina socialista, com algum detalhe modificado aqui outro ali mas nada que desestruture a doutrina; mas foi sim um documento elaborado nas noções e ocorridos político-sociais da época.
Hoje temos uma organização política e social totalmente diferente, na qual o Manifesto não serve muito bem como previsor das ações necessárias para tomada do poder pelo proletário. Temos que tirar nossas próprias conclusões sociopolíticas em relação ao que fazer em determinado momento em que nos encontramos; Marx deu o empurrão inicial, temos que continuar seu trabalho em direção à tomada do poder. É algo extremamente difícil entender em sua totalidade a organização sociopolítica do mundo hoje e ainda prever de que forma isso pode mudar ao favor dos proletários, populistas e o povo em si. Marx conseguiu isso em sua época, apesar de não ter se concretizado o Manifesto, mas se analisarmos sua questão tratada (de que a tomada do poder pelo proletário é apenas uma questão de tempo pois a burguesia não sobrevive sem capital, que é obtido através de mão de obra, que é dada pelos proletários. Ou seja, a burguesia é dependente de seus próprios subordinados, os quais sobrevivem sem seus opressores; basta os trabalhadores terem noção do poder que têm, unir-se e negar o trabalho que gera o capital que é tão importante para burguesia e o sistema capitalista. O resto é pela força da união que trará o poder propriamente dito.) veremos que isso ainda vale para a sociedade de hoje, tudo ainda gira em torno do capital e de quem o gera; apesar de muitos não quererem abrir mão de sua própria humilhação por comodidade ou medo.
Ainda é possível o sonho acontecer, se necessário pela força. Muitos cairão porém Memórias ficarão para sempre, e Heróis se formarão. Não siga a idéia, SEJA a Idéia... pois Idéias Não Morrem! Eu estou disposto à sacrificar o bem individual pelo bem geral e de morrer pela idéia me tornando a idéia e assim, tornando-me Imortal. Idéias Não Morrem

Saturday, February 27, 2010

Irã e o programa nuclear

Foi notificado que no dia 07/02 deste ano que o Irã disse que iria elevado nível de enriquecimento de urânio (Não entrarei em detalhes de como isso funciona pois meu objetivo aqui não é científico); oque é necessário saber é que o nível de enriquecimento de urânio à 95% em média é o necessário para produzir uma bomba atômica. O Irã, com seu vasto nível de instalações nucleares que são espalhadas por todas as direções do país e não são tão vulneráveis à ataques, resolveu aumentar para 20% o enriquecimento de seu urânio. Na ocasião o Irã disse que queria enriquecer o urânio em seu próprio território; mas depois afirmou não se abalar em enriquecer seu urânio no exterior. Sendo assim propuseram uma negociação de enviar 70% de seu urânio enriquecido à 3,5% à Rússia e a França para devolve-los enriquecidos à 20%, oque o Irã discordou mas depois concordou como citado acima. Até então o Ministro de Negócios Estrangeiros do Irã estava otimista quanto à acordos com o União Europeia e Estados Unidos; mas tudo ficou meio vago quando as nações ocidentais não revelaram tanto otimismo assim, mas também quase nenhuma negação quanto a maioria das nações. A maioria deixou uma ideia vaga, nem sim nem não; mas um desejo de negociação que também é dividido com o Irã que até agora é o mais centrado em relação à tais acordos. A única negação afirmada surgiu de um tal de Gates que não sei à qual nação pertence, provável ser dos Estados Unidos ou Grã-Bretanha; o mesmo afirmou que "Eu não tenho a sensação de que estamos próximos de um acordo". O acordo deveria ser fechado entre Irã, a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e o Conselho de Segurança da ONU (Estados Unidos, Rússia, França, China e Grã-Bretanha) mais a Alemanha ; o chamado P5+1. Até então nada foi oficialmente assinado, a previsão é um acordo até outubro. Mas as 2 nações que mais estão em pressão contra o Irã são os Estados Unidos e Israel. Os Estados Unidos em relação a seus ministros de relações etc não querem saber de negociação e são irredutíveis me relação à total paralisação do programa nuclear iraniano, enquanto o seu presidente quer uma solução pacífica e o firmamento de um acordo que agrade à todos. Enquanto Israel também quer um cessamento do programa, porém indo um pouco mais longe ameaçando invadir o país caso não parem de imediato, sendo que Israel é a única nação da região que possui armamento atômico.

Agora vejamos a opinião alheia de um pobre proletário: primeiramente acho uma injustiça como estado iraniano não poder produzir energia através do processo nuclear enquanto cerca de 35% da energia da França é obtida por energia nuclear. Se o fato inconcebível é o aumento do enriquecimento de urânio para 20%, oque é muito longe do necessário para armamentos nucleares (O grande temor dessas nações em relação ao programa nuclear do Irã), porque os mesmos países que estão reclamando de tal fato são os que possuem arsenal atômico? Eles podem ter e o Irã não? As 2 nações que possuem o histórico de mais provocarem guerras e confrontos em seus próprios territórios ou não (EUA e Israel) possuem um vasto arsenal atômico e ninguém suspeita deles, POR QUÊ? E mesmo que fosse o caso, o Irã afirma não pretender produzir armamento nuclear, mesmo se quisesse estaria ainda muito longe dos 95% de enriquecimento; além do que o país ainda não possui capacidade para enriquecimento de tal nível. Então, tendo esses fatos citados acima com ênfase, pode-se ver que os impedimentos impostos ao Irã por essas nações são puro preconceito para com a nação. Não estou dizendo que o Irã não produzirá armamentos nucleares para um futuro conflito com Israel; seria um hipócrita se dissesse que não é necessário suspeitar do Irã, como nação islâmica é sempre um ponto alto para provocar conflitos pr ser uma nação teocrática, assim como Israel; sendo as 2 nações, por questões religiosas, são uma oposta a outra (Israel é um Estado Judeu enquanto Irã é um Estado Islâmico). Oque mais uma vez digo sobre religião que só serve para dividir mais a humanidade e causar conflitos [vide post sobre religião alguns posts abaixo deste]. Mais uma observação necessária é o fato de o congresso de segurança da ONU ser composto apenas por 5 países. Por que quando um assunto pode afetar o mundo inteiro e suas nações , tal fato deve ser decidido apenas por estes países? Não digo que não são dignos de estar lá, não posso julgar ninguém, muito menos uma nação; mas posso sinalizar minha opinião para tal. Mas acho que o mais correto seria todos os países que possuem uma política estável, independente de seu PIB, economia abalada ou não, deveria participar de tais assuntos. É óbvio pereceber que todos neste congresso são so países mais desenvolvido do mundo; oque seria ridiculamente ingênuo de se dizer que é uma coiscidência. Está correto em se dizer que determinados países não tem condições de exercer uma vaga participativa na ONU, mas todos devem ter direito a opinião política no mínimo e não ser julgado por tal opinião em determinado assunto; a desconcordância em tal assunto não impede a concordância em outro que pode ser de extrema importância. Mas em relação à essas nações nesse congresso não há uma reclamação necessária pois todos estão querendo entrar num acordo com o Irã, tirando parcialmente os EUA e Israel; enfatizando a afirmação da China que foi a única que queria mesmo um acordo sem sanções ao Irã de forma justa e pacífica, propuseram uma negociação detalhada e calma em relação à todos. "As partes envolvidas devem ter em mente a visão do todo e o interesse de longo prazo, aumentar os esforços diplomáticos, manter a paciência e adotar uma política mais flexível, pragmática e proativa", afirmou o ministro chinês do Exterior, Yang Jiechi; até então a única opinião de respeito e justiça na minha opinião.
Minha opinião sempre será uma opinião justa para com o lado oprimido socialmente, caso seja o caso. Neste caso quase todos estão contra o lado do Irã, está um turbilhão de preconceito e receio contra o mesmo; algo injusto em relação à minha parte como opinião. Não desejo que o Irã inicie um conflito ou alguma outra nação faça o mesmo, mas se um conflito for necessário para prevalecer a justiça não negarei meu lado , mas acima de tudo espero uma decisão justa em relação à tal assunto.

Wednesday, February 03, 2010

Katyn

Primeiramente quero dedicar esse post à uma conhecida minha, perfeição de mulher que somente ela é. Espero que você goste já que você que me contou primeiramente sobre tal assunto, não esqueci. Então eis aqui uma forma de mostrar como você, e só você...

O Massacre de Katyn foi publicamente anunciado pela Alemanha em abril de 1943, em que soldados nazistas encontraram milhares de cadáveres de oficiais e soldados poloneses amontoados e enterrados em valas uniformemente nas proximidades de Smolensk, na floresta de Katyn. Como se tratava de território soviético, o governo de Stalin logo rebateu acusando, de maneira surpreendente e inusitada os soldados nazistas, exclamando que quando se retiraram do território dominado em 1941 tiveram que deixar os prisioneiros poloneses para trás, assim sendo os nazistas fuzilaram os soldados e oficiais poloneses; eis a versão de Stalin. Até determinado período de cordialidade ocidental-soviética tal versão foi asseita; até 1951. O massacre de Katyn foi uma tragédia nacional para os poloneses, cerca de 1/3 dos oficiais e soldados de seu exército aviam desaparecidos na Rússia que obviamente estavam à todo custo querendo saber o real ocorrido à seus oficiais e soldados; sendo assim empenharam-se em investigações sobre tal assunto.
Floresta de Katyn, setembro de 1939. O exército polones quase em sua metade é aprisionado pelos soviéticos em sua invasão pelo leste da Polônia 17 dias após os Alemães à invadirem pelo oeste. Quase todos oficiais em sua totalidade, cerca de 9000, mais soldados, graduados totalisando algo em torno de 15 ou 16 mil; destes, 15 mil foram mandados e internados à 3 campos, em Kozielsk, Starobielsk e Ostashkov. Em abril de 1940, 400 oficiais considerados "amigos" foram mandados à um campo em Pavlishchev Bor; os que sobraram tiveram destino ignorado. Em outubro de 1940 as tropas alemãs invadiram a Romênia; assim sendo o governo soviético teve em mente que a ação do exército alemão seria o primeiro ato do que poderia ser a quebra do tartado nazi-soviético. 3 semanas depois um tenente polones pró-soviéticos foi chamado a intrevistar-se com os chefes da NKVD (um dos serviços secretos soviético) em Moscow. Então perguntaram ao tenente se ele gostaria de chefiar e organizar tropas polonesas para talvez futuramente enfrentar os nazistas; assim sendo o tenente respondeu que seria uma honra e pediu que tivessem logo como entrada os oficiais desaparecidos no plano. Assim sendo um dos chefes disse um frase que deixou vago o tal crime que futuramente seria mostrado ao mundo: "Não, esses não. Cometemos um grave erro com esses." Quando Hitler colocou suas tropas contra a URSS Stalin concedeu "anistia" á todos os prisioneiros poloneses e pediu ao governo polones em Londres formase um exército com eles. Logo surgiriam poloneses de todos os cantos da União Soviética, mas quase nenhum ex-oficial. Quando nenhum dos prisioneiros mandados à Kozielsk, Starobielsk e Ostashkov incluindo os 400 oficiais levados à Pavlishchev Bor não compareceram ao centro de recrutamento o governo polones ficou inquieto e suas autoridades começaram investigações extremas chegando até o ponto de contactar os afmiliares dos desaparecidos, que afirmavam não terem notícias ou cartas dos mesmo desde maio de 1940. Logo seu primeiro ministro em dezembro de 1941levou o assunto diretamente à Stalin; que como as auoridades soviéticas, respondeu que todos os prisioneiros haviam sido libertados e que o destino individual de cada um era desconhecido, até deixando uma idéia vaga de fugas para a Manchúria. Um inquérito que levou um ano e meio no qual estavam agindo também os embaichadores inglês e norte-americano não revelaram nenhum paradeiro dos prisioneiros.
Logo o governo polonês chegou à conclusão de que autoridades soviéticas estavam obviamente mentindo e que o destino dos prisioneiros poderia ser pior do que pensavam. Quando então os alemães anunciarem em abril de 1943 sobre corpos encontrados em Katyn, os alemães declararam que os oficiais poloneses tinahm sido vítimas de um massacre russo e convidaram a Cruz Vermelha internacional à investigar. O governo soviético além de negar à investigação pela Cruz Vermelha rompeu relações diplomáticas como governo polonês por não ter repelido de imediato as alegações alemães, ainda declarando uma nova versão do ocorrido: a de que os oficiais teriam sido aprisionados pelos alemães em sua invasão em julho de 1941. Assim sendo o governo soviético sabia de tudo antes de encontrarem os cadáveres, logo se sabiam toda a história porque mentir? Enquanto não acharam os corpos não se sabia o destino dos prisioneiros, e as autoridades soviéticas podiam deichar a idéia vaga fingindo não saberem de nada, deichando incerteza em relação à morte dos desaparecidos; mas agora os corpos haviam sido encontrados. Quando voltaram à área em setembro de 1943, o governo soviético designou uma "Comissão Especial para Investigar e Comprovar os Fatos Relacionados com o Fuzilamento de Oficiais Poloneses pelos Agressores Fascistas Alemães na Floresta de Katyn". Essa comição era inteiramente composta por cidadãos soviéticos; cuja declaração oficial foi de que: os alemães , tendo assassinado os prisioneiros no outono de 1941, tendo desenterrados os corpos em março de 1943 (um mês antes de encontrarem-se os corpos) e retirando todos os documentos e indícios posteriores à abril de 1940 e tornaram à enterrá-los. Antes de sairem de Katyn os alemães permitiram à Cruz Vermelha Polonesa exumar e analisar os cadáveres. Como não fez nenhuma declaração pública, a Cruz Vermelha Polonesa não podia ser acusada de ser adébta da propaganda anti-soviética alemã. Mas as provas das análises foram enviadas ao governo polones em Londres pelo serviço "secreto" do governo polones. Encontraram-se: 3.300 cartas e cartões-postais, nenhum com data ou carimbo anterior à abril de 1940; certo número de diários, todos terminando em abril ou na primeira semana de maio de 1940 (um deles descrevendo, como última ocorrência registrada, a viagem, sob escolta da NKVD, para a floresta de Katyn), sendo esta última talvez a pessa chave para desvendar o ocorrido com os prisioneiros mas que não teve tanta atenção;e centenas de jornais e recortes de jornais, todos datados de março ou abril de 1940. Na declaração soviética não deixa claro que a Cruz Vermelha polonesa mentiu e sim que os alemães desenterraram e retornaram à enterrá-los. Sendo que as tropas alemães, segundo o laudo soviético teriam assassinado os prisioneiros em março de 1941; então porque retirar os documentos exatamente terminando-os em maio de 1940. Mesmo se os alemães tivessem mesmo exumado os corpos antes da Cruz Vermelha Polonesa, retirar todos os documentos e ainda inserir novos seria tecnicamente impossível. Desabotoar as roupas inserir diários nos pertences do cadáver sem danificá-lo não seria possível; apenas utilizando-se de aparatos para tal, mesmo assim iria descaradamente danificar os cadáveres."Em primeiro lugar não era apenas uma questão de remover papéis, mas também de substituí-los por outros, de reescrever e forjar detalhes em diários e especialmente de obeter ou reproduzir o necessário número de jornais russos da primavera de 1940." escreve Joseph Mackiewicz, que visitou Katyn junto à Cruz Vermelha Polonesa. "Estando tudo impregnado de repugnante e pegajoso líquido dos cadáveres,era impossível desabotoar os bolsos ou tirar as botas. Foi necessário cortá-los à faca para achar os objetos pessoais (...) Nenhuma técnica permitiria passar revista àqueles bolsos, tirar alguns objetos e por outros em seu lugar, depois abotoar os uniformes e empilhar os corpos novamente, camada sobre camada (...)" mais uma vez por Mackiewicz.

Assim a fraude soviética fica evidente, provando mais uma vez a desumanidade do governo de Stalin. Tendo todas as provas mostrado a verdade, de que o ocorrido assassinato dos poloneses pelos alemães nunca existiu; e que as datas encontradas e seus vestígios dos próprios prisioneiros mostravam a real data do massacre.
Um massacre de justificativas infundáveis e egoístas à mando por assinatura do próprio Stalin, por sua richa pessoal para com o exército polonês.E por causa desconhecida tal fato é esquecido pela mídia e propaganda. Quando fraudes sociais com resultados desumanos não são levadas à serio pelo reconhecimento, mesmo que sozinho espero mostrar e lutar por tal reconhecimento (Assim como o post do Genocídio Armênio); lutemos pela justiça para todos os povos e que, neste caso em especial, as almas desses poloneses banhados por injustiça de reconhecimento nunca sejam esquecidas. Eu não me esquecerei, e farei o possível para que o mundo também não.
Dedicado à: ndg.

Tuesday, January 26, 2010

CCCP

Não tenho certeza quanto às letras da tranliteração; foi difícil achar um site confiável em relação à tradução. Se tudo estiver correto referente à letra; esse é nosso hino Kamerads, o hino da pátria do povo, o hino da nossa União Soviética! Que sempre ecoará por toda a eternidade como o hino de todos os povos e não só de um país.



CCCP

Soyuz nerushimy respublik svobodnykh
Splotila naveki velikaya Rus'!
Da zdravstvuyet sozdanny voley narodov
Yediny, moguchy Sovetsky Soyuz!

Slavsya, Otechestvo nashe svobodnoye,
Druzhby narodov nadyozhny oplot,
Partiya Lenina — sila narodnaya
Nas k torzhestvu kommunizma vedyot!

Skvoz' grozy siyalo nam solntse svobody,
I Lenin veliky nam put' ozaril,
Na pravoye delo on podnyal narody,
Na trud i na podvigi nas vdokhnovil!

Slavsya, Otechestvo nashe svobodnoye,
Druzhby narodov nadyozhny oplot,
Partiya Lenina — sila narodnaya
Nas k torzhestvu kommunizma vedyot!

V pobede bessmertnykh idey kommunizma
My vidim gryadushcheye nashey strany,
I krasnomu znameni slavnoy otchizny
My budem vsegda bezzavetno verny!

Slavsya, Otechestvo nashe svobodnoye,
Druzhby narodov nadyozhny oplot,
Partiya Lenina — sila narodnaya
Nas k torzhestvu kommunizma vedyot!

http://www.youtube.com/watch?v=Hm3ZjJFq1ic

Thursday, January 21, 2010

Religião

Tratando-se de religião, encontra-se um dos grandes assuntos que não se pode discutir, pois nunca terá como uma religião se sobrepor a outra. Cada um falará que a sua própria é a certa, e outros discordam afirmando que a sua própria é a mais correta. Ou seja, uma discussão sem sentido e que não tem fim. Chegando nesse ponto podemos concluir que sempre haverá discordância entre religiões; e que muitas vezes podem exceder à uma simples discussão. Exemplos vivos na história, tanto antiga quanto atual; afinal as grandes guerras da atualidade e que ainda continuam matando todos os dias são por causa de religião. Analisemos a história mais uma vez, nossa inegável prova de tudo que a humanidade já fez e ainda está por fazer. Não pretendo fazer uma análise desde os primórdios das religiões, e sim seus ápices que influem no assunto tratado, o de que a religião só serve para distribuir e gerar divergências ideológicas e separar cada vez mais a raça humana.
O primeiro ápice de minha análise serão as Cruzadas; que nos documentos históricos da época e tecnicamente eram escurções feitas pelos europeus ao oriente médio para negociar diretamente com a fonte principal de comércio da europa na época. Eles realizaram tais ordens? Sim. Porém as Cruzadas foram usadas para segundas intenções pela igreja: a de impor a religião cristã; a força se necessário. E foi oque realizou-se sem remorso nenhum pelos europeus. A igreja da época Medieval era tão poderosa quanto os próprios reinos, já que governavam o governante tecnicamente; assim detendo poderes absurdos. Com tal poder mesclado a extrema ignorância e egoísmo queriam sempre mais e mais, assim querendo impor à todos suas doutrinas "em nome de Deus"; utilizando-se de tal preceito realizaram uma das maiores ignorâncias ideológicas e atrocidades contra determinado povo. Assim os soldados europeus executavam centenas que se opusessem "ao seu Deus"; e justamente no oriente médio onde existem suas próprias religiões. Então homens que viveram toda uma vida com suas doutrinas religiosas, crianças e mulheres tinham que abdicar de sua cultura e aceitar o Deus dos europeus se quisessem sobreviver. Muitos abaixavam a cabeça e aceitavam, muitos não; assim provocando batalhas sangrentas e perdas para ambos os lados. Sendo assim tal fato histórico é descrito de acordo com a interpretação ou do lado árabe ou do lado europeu, porém é óbvio o porque de que o lado árabe nunca é visto, analisado e/ou divulgado. Mas é mais óbvio ainda que o lado árabe seria o "correto" em tal situação pois estavam apenas defendendo suas doutrinas de indivíduos que vieram do nada afirmando: "Adore o nosso Deus e deixe o seu de lado ou você e sua família morrem." E crianças e mulheres eram mortas, apenas do lado árabe; a covardia chega ao limite com tal fato. Pergunto se há algum fundamento em invadir casas, destruir vilas, MATAR homens, mulheres e crianças, por pura imposição de valores religiosos? Não há! A religião só serviu para destruir vidas e gerar desordem e desunião ideológica nesse caso. O povo árabe nunca irá se esquecer do terror causado pelos europeus, e não deixemos também que se apague pois temos que tranceder em prol dos oprimidos injustamente.
Meu segundo ápice de analise serão as guerras atuais no oriente médio, as disputas religiosas entre o estado judaico israelense, o islã, os muçulmanos, palestinos etc. Não entrarei em muitos detalhes ideológicos e justificativas pois são análises muito complexas que possuem suas causas ligadas à economia, geografia, etc e não só religião; porém esta última sendo a principal causa e também o estopim de tantas outras, mas não a única. As disputas sangrentas que são realizadas até hoje em territórios que ficaram famosos por suas batalhas quase que diárias, a Faixa de Gaza ou a Palestina. São palcos de disputas que começaram pura e simplesmente porque Israel é um estado judaico, logo em sua fronteira encontram-se muçulmanos cuja religião é baseada no Alcorão; e ainda há os palestinos entre estes dois que pertencem uma ou à outra religião ou a nenhuma delas. Então assim já temos um território de fronteiras que não limitam-se apenas aos limites geográficos, mas também à ideologias religiosas. Sendo assim a religião encontrada em todos esses territórios é o principal motivo de guerras entre os mesmos; acarretando em milhares de mortos ao longo dessas guerras que voltam a ocorrer em determinados períodos seguidos por uma falsa paz entre eles, logo quebrada por um dos mesmos. Assim mais uma vez a religião é causa de discórdias provocando assim batalhas sangrentas e mortes desnecessárias que sempre atingem inocentes; a história volta à se repetir. Feliz e infelizmente ao mesmo tempo, a história é um círculo; tudo que ocorreu volta a ocorrer de uma forma distorcida ou de outra, mas no mínimo com os mesmos fundamentos, podendo haver divergência na prática dos mesmos. Assim como nas cruzadas ocorrem ainda hoje tais disputas por religião.
Todas as religiões tem seu Deus comum, seu Deus que prega o bem acima de tudo e para com seus semelhantes; em relação à isso não há dúvidas ou divergência, toda religião é baseada em mandamentos de um Deus Pai superior à todos que quer o bem acima de tudo de seus "filhos". Então se há um Deus, e eu creio que há, a última coisa que o Mesmo quereria seria oque ocorre atualmente e já ocorreu na história. Mortes e sofrimento, sangue e destruição justificados como "a vontade do meu Deus"; nenhum Deus, seja qual for a religião não haveria de querer isso para com seus "filhos". Não desacredito em religião alguma, tanto que acredito em Deus; mas não um Deus específico, e sim um Deus comum, maior e superior que nos auxiliará após a morte. Acho que a vida terrena é algo muito breve e inútil para ser apenas isso, deve haver e tem que haver algo mais depois dessa corrida aparentemente inútil que todos nós estamos presenciando e exercendo. Então a questão de religiões e suas divergências é algo extremamente complicado de lidar, admito, mas que em seu geral e totalidade é apenas algo que cria barreiras e divergências entre os seres humanos, provocando assim guerras, sofrimento etc. E quem sai perdendo somos apenas nós, e que continuamos insistindo no erro de manter doutrinas religiosas radicalmente em nosso âmbito social. Admito não ter solução, até porque não detenho tanto conhecimento político social (Isso requereria anos de estudos e formação que ainda não possuo), para tal fato; porém deixo aqui a ideia de que tais doutrinas devem ser revistas em relação ao seu contato com a sociedade. Política e Religião quando se juntam geram apenas divergências, desentendimentos e sofrimento ao seu povo. Religiões em si deveriam ser isoladas umas das outras, cada religião com seu Deus; oque acho que é por minha opinião algo que só separa cada vez mais nós de nós mesmos. Tem que se ter noção de que temos um Deus comum, comum à todas as religiões; não sei porque não se enxerga essa ponte entre todas as religiões, talvez seja proposital. Mas há sim uma conexão entre todas as religiões, seria coicidência demais TODOS os Deuses de todas as religiões terem nos criador e querer o bem maior honestamente acima de tudo, não se percebe tal conexão e sua tamanha importância para tal; algo que poderia mudar o mundo. Se não houvesse religiões e divergências por causa das mesmas, estaríamos à passos da real união do povo. Talvez todas as religiões , analisando a tal conexão ideológica de cada Deus, não passe apenas de uma mal compreensão; um telefone sem fio da história, talvez o maior. Há um Deus comum à tudo (e é este Deus o qual acredito), e assim cada civilização interpretou da sua própria maneira esse mesmo Deus comum. E assim criaram-se todas as religiões deste mundo. Que Deus queira que seja isso a verdade; a verdade que só será revelada com a morte.

Monday, January 18, 2010

Chop Suey

Wake up! [weak up!]

Grab a brush and put a little makeup!

Hide the scars to fade away the shakeup!
[Hide the scars to fade away the...]

Why'd you leave the keys upon the table?

Here you go create another fable!


You wanted to!
Grab a brush and put a little makeup!
You wanted to!
Hide the scars to fade away the shakeup!
You wanted to!
Why'd you leave the keys upon the table?
You wanted to!

I don't think you trust,
In, my, self righteous suicide,
I, cry, when angels deserve to diiiiiiiiiiiiiiiie!
AAAAAAAAAAAAAAAAHHHH!

Wake up! [weak up!]
Grab a brush and put a little makeup!
Hide the scars to fade away the shakeup!
[Hide the scars to fade away the...]
Why'd you leave the keys upon the table?
Here you go create another fable!

You wanted to!
Grab a brush and put a little makeup!
You wanted to!
Hide the scars to fade away the shakeup!
You wanted to!
Why'd you leave the keys upon the table?
You wanted to!

I don't think you trust...
In... my... self righteous suicide,
I... cry... when angels deserve to die
In my... self righteous suicide,
I cry... when angels deserve to die


Father, Father, Father, Father, Father, Father, Father, Father
Father Into your hands I commend my spirit

Father, into your hands
Why have you forsaken me?
In your eyes forsaken me!
In your thoughts forsaken me,!
In your heart forsaken me oh!

Trust in my self righteous suicide!
I cry when angels deserve to die!
In my self righteous suicide...
I cry when angels deserve to die...





Que não disperdissemos nossas vidas com coisas fúteis e fassamos algo de útil! Por nós, pelo povo!
Que vivamos como homens livres, ou morramos como anjos!

Wednesday, January 13, 2010

Hitler - sem hipocrisia e enxergando seu outro lado

Antes de tudo peço que hipócritas que possuem a mente fechada não leiam tal post, pois acarretará em discussões inúteis as quais não perderei meu tempo; respeito a opinião alheia sim, mas quando estas interferem nas minhas opiniões gera-se assim uma controvérsia que serei grato em esclarecer caso seja uma discussão sadia na qual será dividido conhecimentos e opiniões de ambos os lados. Mas se o objetivo for uma discussão fundada em preceitos ignorantes os quais só se é capaz de ver o próprio lado; que não leiam.
Em tal post escreverei sobre Hitler. Afirmo desde já que não defendo nada que ele pregava e/ou tenha feito de horrendo contra a humanidade como racismo e anti-semitismo ilimitado, teorias de superioridade racial ridículas e infundadas, o genocídio de judeus etc. Podem me chamar de hipócrita mas ainda assim espero esclarecer tudo sem mudar de opinião; até porque também sou adébito da cultura judaica e também apoio ideais anarco-comunistas; assim sendo eu seria o 1° à falar mal de Hitler e enxergá-lo apenas como um carrasco. Mas analiso tudo de ambos os lados e faço minha própria interpretação, possuo a mente aberta ao necessário, assim sendo, falarei de Hitler de um lado que quase ninguém vê e, não sei porque, recusam-se a enxergar; o lado o qual , e somente este deixo claro, eu admiro em Hitler: Seu lado político, estrategista, seu lado como líder. Novamente afirmo: em NENHUM aspecto de seus ideais. Meu objetivo não é de exaltar Hitler; e sim mostrar o exímio político e um dos maiores líderes que esse mundo já teve, mas que infelizmente escolheu o lado errado para lutar e representar.
Sem enrolação começarei direto no ponto que quero realçar pois se propuser um resumo antes até chegar aqui sobre Hitler será algo bem longo e que todos já sabem: Adolf Hitler, líder e ditador nazista e bla bla bla. Então analisemos os fatos sem enxergar e/ou levar em conta o ditador racista que ele foi.
Hitler conseguiu logo no início de seu poder algo que parecia inimaginável: tirar a Alemanha do colapso económico-social que a mesma se encontrava após a 1° Guerra Mundial. A Alemanha encontrava-se destroçada de todas as maneiras possíveis em relação à economia, socialmente, geograficamente etc. O Tratado de Versailles foi uma das assinaturas mais injustas da história o qual, de uma maneira generalizada, entregava toda a culpa e despesas da guerra à Alemanha. Assim sendo a Alemanha pós-guerra mergulhou numa inflação incalculável, estava completamente destruída desde a capital até as mais humildes ruas, perdeu mais da metade de seus territórios incluindo preciosas regiões de mineração, sem falar na depressão a qual se encontravam todos os alemães na época. Perderam uma guerra que nem se quer começaram e que foi iniciada por motivos mesquinhos de uma podre nação intitulada Inglaterra. Com isso um veterano de guerra que estava subindo em cargos políticos após a guerra (Hitler) começa à lutar contra isso organizando várias jogadas políticas, discursos e ações que começaram a chamar a atenção do povo alemão. De uma forma surpreendente Hitler consegue apenas com palavras e gestos conquistar toda uma nação e, mais ainda, motivá-los a continuar a luta para transformarem a Alemanha devolta na potência económica e industrial que era; com a promessa de que ele faria também de tudo para o mesmo. E o fez. Essa é uma das ações de Hitler que mais sou fã: ter conquistado uma nação inteira apenas com palavras; na verdade 2 nações e até mais alguns povos em volta da Alemanha, visto que Hitler conquistou a Áustria sem dar um tiro se quer. Assim Hitler faz com que uma nação derrotada por potências industriais e económicas, arrasada pela guerra industria, económica, geográfica e socialmente, erguesse a cabeça e continuasse sua caminhada olhando pra frente sem parar por nada. Literalmente, ele tirou todo um povo da desgraça social eterna mas que foi revertida à glória e louvor de uma nação que se levantou do zero em todos os aspectos, e graças principalmente à esse homem que ficou marcado, infelizmente, apenas pelo que fez de ruim e errado contra o mundo e outros povos. Não defendo tais atos, mas acho lamentável lembrar-se apenas de atos ruins de qualquer ser.
Continuando: Hitler consegue recuperar a Alemanha da inflação, mesmo que não totalmente mas consegue reparar a economia quase ao estado normal antes da guerra. Passados alguns anos como chanceler ocupa o cargo de Primeiro Ministro com o falecimento do anterior, o qual Hitler era braço direito. Assim toma o título pelo qual ficou mais conhecido: Führer (que traduzido equivaleria a "guia", assim sendo seria o "guia do povo alemão"). Já nesse cargo Hitler consegue totalmente recuperar a Alemanha da crise económica, e pretende já começando a militarizar e transformar a Alemanha não só numa potência industrial e económica, mas também bélica. Porém o Tratado de Versailles não permitia que a Alemanha produzisse qualquer material bélico e/ou treinamento ligado aos mesmos; mas Hitler querendo acima de tudo o bem da Alemanha não estava querendo obedecer tal tratado, já que também tinha a ideia de que tal tratado foi injusto mesmo se valendo que era uma guerra. Assim sendo, Hitler investe nas indústrias de base alemãs: ferro, aço, madeira, carvão etc. Tudo isso para encobrir a fabricação feita às escuras e debaixo dos panos lotadas de falcatruas com os fiscais britânicos e franceses que faziam vista grossa (é, isso é uma das coisas que não é divulgada nos livros de escola ou TV). Mas a jogada política de treinamento militar foi mais genial. Para encobrir o treinamento militar preparado para guerras e batalhas de milhares de soldados que se alistavam aos montes, Hitler erguia campos de treinamneto em pontos longínquos da Alemanha, bem longe das cidades e perto do campo. Campos esses nos quais os "soldados" eram treinados para cuidar do campo, fazendas, casas e primeiros socorros. Assim diante de toda a Europa, soldados eram treinados segurando pás, mas sem ninguém reparar que eram usados para representar rifles de assalto, aprendiam lições de salvamento sem nínguem notar que eram treinamento para feridos de guerra, corridas com pesos e mochilas de equipamentos simulando tecnicamente nos documentos "escaladas nos alpes" etc. Então com grande maestria política Hitler treinava todo seu exército alemão diante de todos os olhos da Europa.
Continuando investindo na indústria de base, bloqueando sinais e frequências de rádios da Inglaterra e França para evitar contatos visuais com os treinamentos e fabricações, Hitler cria uma Máquina de Guerra que todo o mundo pararia chocado e surpreso diante de todo aquele poder bélico e devastador que era o Exército Alemão. Novamente: tudo isso diante de toda a Europa.
Agora já em Guerra com a Europa e o mundo de certa forma. Sua maestria política e liderança continuam mesmo, infelizmente, exercendo o poder máximo e promovendo a desgraça, injustiça e assassinato em maça. Meu próximo e último ponto de análise nos quais admiro Hitler serão seus grandiosos e pomposos comícios e discursos de Nürenberg. Discursos que enchiam praticamente todo o "coliseu" nazista de soldados ao povo mais humilde; todos com ouvidos atentos aos dizeres do Führer. Eram desde assuntos de guerra, assuntos políticos, assuntos económicos, industriais etc. Principalmente eram discursos que continuavam motivando o povo alemão. Suas palavras, ênfases e gestos eram no mínimo mágicos para o povo alemão na época; era um mestre da oratória que poderia motivar a continuar a vida até um alemão com tumor no cérebro. Nos discursos de Nürenberg e no cotidiano da Alemanha nazista, a política era sempre presente. E o meio para propagar a política é a propaganda. Talvez em toda a história nenhuma propaganda política surtiu tanto efeito e foi tão bem sucedida quando a propaganda da Alemanha nazista. Extremos jogos de palavras análises e repetidas e incessantes ênfases nos tópicos de maior enfoque da propaganda nazista. Com seus milhares de apoiadores, a propaganda nazista criou um novo patamar ao que para muitos eram apenas discursos em praças públicas ou entrega de panfletos nas ruas; tal propaganda ganhou corpo e movimento, e eram exercidas em massa e repetidas vezes sempre nos mesmos locais, sendo os principais discursos ao povo feitos em Nürenberg e a propaganda por todos os cantos da Alemanha; do ponto mais remoto da Bavária nos pés dos alpes ao extremo norte passando por todo o estado de Hamburg (onde fica a capital Berlin). Esse é o lado o qual admiro sem receio nenhum de expor; hão de concordar ou no mínimo respeitar, de maneira nenhuma relevar seus outros atos, mas não sejamos hipócritas de enxergar apenas oque é falado e o podre e horrendo de Hitler. Respeitemos e convenhamos , novamente, sem hipocrisia: Hitler era um mestre inigualável com as palavras, um exímio político, e acima de tudo, um grande líder.
Repito que foi uma extrema lástima ter escolhido e apoiado tais ideais. Agora imaginemos se tal homem lutasse ao lado de Trotsky e Lenin na Revolução comunista? Ou até depois da mesma durante já o primeiro governo da União Soviética? Uma das se não a grande desgraça do comunismo foi sua falta de propaganda bem sucedida, sua falta de vontade de continuar oque foi começado. Seria uma dádiva um Hitler com toda sua genialidade de jogos políticos e de propaganda estivesse nos planos comunistas apoiando os mesmos. Tentem ver deste ângulo: Se Hitler escolhesse o lado certo? se ele lutasse por liberdade, união e justiça? Se estivesse do lado de toda forma de povo e não só do povo alemão? Hitler era um grande homem SIM! Apenas , infelizmente, apoiou ideais errados, precipitados e infundáveis, ideais de egoísmo e racismo que intitulava e achava corretos. Vejam por esse lado, o de que Hitler apenas lutou do lado errado. E verão que oque sobra se tirarmos seus ideais, é um grande homem. Um grande homem que infelizmente lutou do lado errado.